Ir para conteúdo principal

Include

NESTA PÁGINA

Include

A variável Include/Must_Include especifica um arquivo que contém texto, o qual deve ser incluído no script e avaliado como código de script. Ela não é usada para adicionar dados. Você pode armazenar partes do seu código de script em um arquivo de texto separado e reutilizá-lo em vários aplicativos. Essa é uma variável definida pelo usuário.

Sintaxe:

$(Include=filename)

$(Must_Include=filename)

Existem duas versões da variável:

  • Include não gera um erro se o arquivo não puder ser encontrado, ele falhará silenciosamente.
  • Must_Include gera um erro se o arquivo não puder ser encontrado.

Se você não especificar um caminho, o nome do arquivo será relativo ao diretório de trabalho do aplicativo Qlik Sense. Você também pode especificar um caminho de arquivo absoluto ou um caminho para uma conexão de pasta lib://. Não coloque um caractere de espaço antes ou depois do sinal de igual.

Nota: A construção set Include =filename não é aplicável.

Exemplos:  

$(Include=abc.txt);

$(Must_Include=lib://DataFiles/abc.txt);  

Limitações

Compatibilidade cruzada limitada entre arquivos codificados em UTF-8 no Windows e no Linux.

O uso do UTF-8 com a BOM (Byte Order Mark, ou Marca de ordem de bytes) é opcional. A BOM pode interferir com o uso do UTF-8 em softwares que não esperam bytes não ASCII no início de um arquivo, mas que, de outra forma, poderiam lidar com o fluxo de texto.

  • Os sistemas Windows usam a BOM em UTF-8 para identificar que um arquivo está codificado em UTF-8, mesmo não havendo ambiguidade no armazenamento de bytes.

  • O Unix/Linux usa UTF-8 para Unicode, mas não usa a BOM, pois ela interfere na sintaxe de arquivos de comando.

Isso tem algumas implicações para o Qlik Sense.

  • No Windows, qualquer arquivo que comece com uma BOM UTF-8 é considerado um arquivo de script UTF-8. Caso contrário, é assumida a codificação ANSI.

  • No Linux, a página de código de 8 bits padrão do sistema é UTF-8. É por isso que o UTF-8 funciona, embora não contenha uma BOM.

Como resultado, a portabilidade não pode ser garantida. Nem sempre é possível criar um arquivo no Windows que possa ser interpretado pelo Linux, e vice-versa. Não há compatibilidade cruzada entre os dois sistemas em relação a arquivos codificados em UTF-8 devido ao tratamento diferente da BOM.

Para obter mais informações, consulte Marca de ordem de bytes