Carregando dados com o script de carga de dados

O Qlik Sense utiliza um script de carga de dados, gerenciado no editor da carga de dados para se conectar e recuperar dados de várias fontes de dados. Uma origem de dados pode ser um arquivo de dados, por exemplo, um arquivo Excel ou um arquivo .csv. Uma origem de dados também pode ser um banco de dados, por exemplo, um banco de dados Google BigQuery ou Salesforce.

Também é possível carregar dados usando o gerenciador de dados, mas, quando quiser criar, editar e executar um script de carregamento de dados, use o editor de carregamento de dados.

No script, os campos e as tabelas a serem carregados são especificados. O uso de scripts geralmente é usado para especificar quais dados serão carregados a partir das fontes de dados. Você também pode manipular a estrutura de dados usando comandos de script.

Durante a carga de dados, o Qlik Sense identifica campos comuns de tabelas diferentes (campos-chave) para associar os dados. A estrutura de dados resultante dos dados no aplicativo pode ser monitorada no visualizador do modelo de dados. As alterações na estrutura de dados podem ser obtidas renomeando os campos para obter diferentes associações entre as tabelas.

Após o carregamento dos dados no Qlik Sense, eles são armazenados no aplicativo.

Para saber mais sobre o editor de carregamento de dados, consulte Usando o editor da carga de dados.

Para saber mais sobre a sintaxe de scripts e estruturas de dados, consulte Entendendo a sintaxe de script e as estruturas de dados.

Para saber mais sobre dados e campos, consulte Diretrizes para dados e campos.

A análise no Qlik Sense sempre acontece enquanto o aplicativo não está diretamente conectado às fontes de dados. Dessa forma, para atualizar os dados, você precisa que o script recarregue os dados.

Interação entre o Gerenciador de dados e o script de carregamento de dados

Quando você adiciona tabelas de dados ao Gerenciador de dados, o código de script de carga de dados é gerado. Você pode ver o código do script na seção autogerada do editor de carga de dados. Você também pode escolher destravar e editar o código de script gerado, mas, nesse caso, as tabelas de dados não serão mais gerenciadas no Gerenciador de dados.

Por padrão, tabelas de dados definidas no script de carregamento não são gerenciadas no Gerenciador de dados. Ou seja, é possível ver as tabelas na visão geral, mas não é possível excluir ou editar as tabelas no Gerenciador de dados, e as recomendações de associação não são fornecidas para tabelas carregadas com o script. No entanto, se você sincronizar suas tabelas com script com o Gerenciador de dados, as tabelas serão adicionadas como tabelas com script gerenciadas ao Gerenciador de dados.

Aviso:

Se você tiver tabelas sincronizadas, não deve fazer alterações no editor da carga de dados com o Gerenciador de dados aberto em outra guia.

Para saber mais sobre tabelas sincronizadas, consulte Sincronizando tabelas com script no Gerenciador de dados.

Você pode adicionar seções de script e desenvolver código que aprimora e interage com o modelo de dados criado no Gerenciador de dados, mas há algumas áreas em que você precisa ter cuidado. O código do script escrito pode interferir no modelo de dados do Gerenciador de dados e criar problemas em alguns casos, por exemplo:

  • Renomear ou eliminar tabelas adicionadas com o Gerenciador de dados no script.
  • Eliminar campos de tabelas adicionadas com o Gerenciador de dados.
  • Concatenação entre tabelas adicionadas com o Gerenciador de dados e tabelas carregadas no script.
  • Usar o comando Qualify com campos nas tabelas adicionadas com o Gerenciador de dados.
  • Carregar tabelas adicionadas com o Gerenciador de dados usando Resident no script.
  • Adicionar código de script após a seção de código gerado. As alterações resultantes no modelo de dados não são refletidas no Gerenciador de dados.

Para saber mais sobre o script de carregamento de dados, consulte Editar o script de carga de dados.